26/12/2017 DISCURSO DE ENCERRAMENTO

Ariovaldo Zani apresenta “admirável mundo novo” e exalta a ética no setor

Em discurso, profissional contextualiza o caminho social e das produções

Resiliência e resistência foram palavras grifadas no dicionário do agronegócio em 2017. Essas ganharam mais valor ainda ao serem exaltadas durante o tradicional jantar do Sindicato Nacional da Indústria de Ração Animal (Sindirações, São Paulo/SP), realizado no início do mês, no prédio da Fiesp, em São Paulo (SP). Reunindo grandes personagens da produção agropecuária do País quando se fala em indústria privada, o encontro teve o tom de análise de um ano conturbado que sai fortalecido, certo das progressões realizadas.

Nesse cenário, o vice-presidente da entidade, Ariovaldo Zani, discursou no sentido de reflexões para os próximos passos, tendo o futuro e a ética como citações centrais. “Esse é o novo mundo, onde habita a humanidade cada vez mais dependente das novíssimas tecnologias disruptivas, e que me faz refletir nostalgicamente acerca do conhecimento adquirido nesses quase 40 anos da minha jornada profissional, sendo praticamente ¾ deles dedicados à ciência aplicada aos processos para desenvolvimento de produtos, campanhas de incentivo ao consum, e combate dos dogmas atribuídos à produção animal”, menciona.

O profissional exemplifica com acontecimentos de 2017 que propuseram a tomada de valores. Do episódio “Carne Fraca”, a reestruturação governamental pela ética. A história, segundo ele, serve de exemplo para vários elos do setor. “Você associado, tem a obrigação de manter altos padrões éticos e observar os requisitos legais reguladores e profissionais aplicáveis, primando pela ética nas relações concorrenciais a fim de evitar quaisquer práticas tendentes à constituição de privilégios ou oligo/monopólio, em observância à Lei de Defesa da Concorrência; fornecer informações e instruções precisas sobre seus produtos; oferecer suporte aos profissionais que atuam no respectivo setor produtivo, garantindo a estes, acesso às informações de relevância e em benefício do conhecimento; promover e fomentar entre si a leal concorrência, o respeito ao consumidor e o irrestrito cumprimento das leis, combater a desconformidade técnica e fiscal; incentivar a proteção ambiental e a responsabilidade social; observar estritamente a legislação que regulamenta as relações do gênero, bem como, com outras entidades e associações; mirar na contribuição para o desenvolvimento de toda cadeia produtiva e de consumo; e repudiar categoricamente a prática de ações que afetem a imagem da classe e do setor”, enumera.

ariovaldo zani_sindiracoes_feedfood

Valores aplicados ao dia a dia do trabalho foram colocados na reflexão de Ariovaldo Zani (Foto: feed&food)

De acordo com Zani, esse “Admirável mundo novo” que presenciamos agora e antecipado em 1931 pelo romancista Aldous Huxley, parece surpreender muito mais àqueles de geração mais antiga. “É meus amigos, de acordo com um ‘verdadeiro’ pensador, o francês Paul Valéry: ‘O problema do nosso tempo é que o futuro não é mais o que costumava ser’. E, já que ‘o futuro à nós não pertence’, vamos dar uma guinada radical na nossa análise, do ‘feed forward’ enviesemos para o tradicional ‘feedback’, ou para o legado já impresso por nosso Sindirações”, destaca, apresentando algumas das muitas ações bem-sucedidas da entidade.

Para saber quais são, além de todo o discurso o qual o profissional discorreu, clique aqui.

Fonte: Sindirações, adaptado pela equipe feed&food.